08
Sáb., maio
3 Artigos Novos

O Governo já recebeu 34 propostas de áreas integradas de gestão de paisagem. O projeto é apoiado pelo Fundo Florestal Permanente e pelo Fundo Ambiental na manutenção das áreas, que podem ser floresta, mas que também podem ser referentes a territórios agrícolas deste que estes sejam mantidos através de métodos biológicos. Muitos são no interior.

A 10, 12 e 19 de maio, o FSC Portugal vai realizar formação acerca da certificação de Cadeia de Custódia, que ganha relevância entre as entidades que processam, transformam, fabricam ou comercializam produtos de origem florestal.  Além disso, recentemente foi revista a Norma de Cadeia de Custódia FSC-STD-40-004 V3-1, que entrará em vigor a 1 de setembro de 2021. Até 31 de Dezembro de 2022, todos os Titulares de Certificado terão de ter transitado para a aplicação da nova versão. 

A pasta de café, um desperdício da produção de café, pode ser utilizada para acelerar a recuperação das florestas tropicais em terrenos que tenham sido utilizados para agricultura.

A procura de óleo de cozinha usado (UCO) para alimentar transportes pode vir a duplicar em 2030, deixando-a cada vez mais dependente de importações duvidosas, revela um novo estudo. A União Europeia promove a utilização de UCO ao abrigo da lei relativa aos combustíveis verdes, apesar de mais de metade vir do estrangeiro. Os próprios auditores da UE têm levantado preocupações sobre sistemas inadequados para impedir que óleos virgens como a palma, que impulsionam a desflorestação, sejam utilizados.

Há uma nova campanha, implementada pela Reckitt, que desafia os portugueses a participar na reflorestação, através do Projecto PRONATURA, da ANEFA - Associação Nacional de Empresas Florestais, Agrícolas e do Ambiente. “Com Botanical Origin vamos reflorestar Portugal” é o mote da campanha em super e hipermercados até dia 06 de junho. Esta campanha visa sensibilizar os portugueses para a importância de reflorestação de áreas ardidas e degradas em Portugal.

O Governo vai mobilizar 10,4 milhões de euros em apoios para o setor da caça. Através do Programa de Desenvolvimento Rural, serão afetos cinco milhões de euros à promoção da biodiversidade e ao valor ambiental e social dos espaços florestais, que permitirão financiar medidas de compatibilização da atividade cinegética, ações de monitorização da fauna e medidas de salvaguarda sanitária.