10
Qua., Ago.
7 Artigos Novos

Hortofloricultura

Portugal já é um dos principais produtores de Bimi da Europa. A produção em Portugal aumentou de cerca de 10 hectares, em 2015, para 80 hectares em 2021. Inicialmente, a produção destinava-se apenas para a exportação, sobretudo, para o Reino Unido.

A partir de 2015, o Bimi começou a ser vendido em Portugal e está, hoje, em todas as cadeias de hiper e supermercados. Atualmente, cerca de 65% do Bimi produzido em Portugal é exportado e 35% é vendido no nosso país.

O Bimi é 100% comestível, do caule aos floretes, tendo um caule macio com um sabor mais suave e doce do que os tradicionais brócolos. Cultivado principalmente na região do Oeste, Ribatejo e também no Sudoeste Alentejano, o Bimi é uma variedade que resulta do cruzamento natural de duas espécies pertencentes à família das brássicas.

Os produtores locais asseguram o abastecimento de todo mercado nacional e o objetivo da Sakata, empresa de sementes, é manter o crescimento de dois dígitos no mercado nacional e, ao mesmo tempo, diversificar as exportações para outros mercados internacionais, como França, Alemanha e Polónia.

No continente europeu, os principais produtores de Bimi são o Reino Unido, Espanha e Portugal (por esta ordem). Estão em desenvolvimento produções locais em países como Alemanha, Itália, França, Finlândia, Dinamarca, Suíça e Polónia, onde a procura dos consumidores está a aumentar.

O vegetal tem 10 nutrientes essenciais que o tornam único. Além de fibra para favorecer o trânsito intestinal e facilitar a digestão, contém potássio, cálcio e fosfato. Tem mais zinco, fosfato, antioxidantes e vitamina C do que os espargos, os brócolos, a couve e o espinafre. Contém o dobro de vitamina B6 de ervilhas ou cenouras, contribuindo para uma alimentação saudável. É uma das melhores fontes vegetais de vitamina E, que evita a degeneração das artérias e do cérebro. Cada 100 gramas de Bimi equivalem a 33 calorias.